Sobre o Site

O objetivo principal é disponibilizar estudos que ensinam a “Doutrina que se fundamenta na Bíblia“, bem como apresentar o “Evangelho da Graça“, que revela a Pessoa do Senhor Jesus Cristo como Único e Suficiente Salvador da humanidade do seu iminente “Juízo” e “Condenação Eterna” (Lucas 4:18-19; João 16:7-11; Atos 20:24). Os textos são de autores reconhecidos como “legítimos defensores da verdade”.

Nas palavras registradas em Atos dos Apóstolos, temos o seguinte apelo:

“Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, de sorte que venham os tempos de refrigério, da presença do Senhor” (Atos 3.19).

Existe o propósito com as publicações em demonstrar que a forma de conduta do cristão deve atentar para os princípios contidos na Palavra de Deus, cabendo a cada membro aprender, defender e ensinar a Doutrina de forma sadia, como também proclamar o Evangelho que apresenta, sob os seus diversos aspectos, a Pessoa do Senhor Jesus Cristo como a principal razão da sua vida, em particular! (Efésios 3:10; I Pedro 4:10).

Destaca-se o fato de que o cristão deve compreender, e aceitar, que o seu gozo deve estar firmado no privilégio de reunir-se tão somente ao Nome do Senhor Jesus Cristo, tendo o manifesto desejo de aprender d´Ele através dos ensinos registrados nas Escrituras Sagradas, ou seja, a Bíblia. Também cabe ao cristão ter a plena consciência e devida contemplação do Senhor Jesus Cristo como Deus, aceitando-O como o único capaz de estabelecer o homem na condição de herdeiro do céu pela Redenção mediante o Seu Sangue Imaculado, sendo este o anseio de toda alma piedosa — A Ele toda honra e toda Glória, amém! (João 10:30 e Filipenses 2:6-7).

O Senhor Jesus deseja a Sua igreja reunindo-se unicamente ao Seu Nome (Mateus 18:20), sem assumir qualquer outro nome ou denominação, nem filiando-se a qualquer organização, seita ou sociedade, mas sendo simplesmente “uma reunião de cristãos em cada localidade“. Cada igreja, em sua localidade, possui os seus anciãos (Atos 20:17) que devem cuidar dela e, sendo uma igreja estabelecida por Deus (Atos 20:28; I Coríntios 1:2), é responsável somente à Ele, não tendo necessidade, e muito menos autoridade bíblica (fundamento), para subordinar-se a outra igreja, ou a uma organização de igrejas; ela é autônoma!

A igreja “não deve apresentar-se como uma democracia” (governo do povo), onde a maioria governa, nem um lugar controlado por apenas um homem, mas a igreja, que pertence ao Senhor Deus, é uma “teocracia, ou seja, um lugar onde Deus deve reinar soberano“. Assim sendo, ao reunir-se ao Nome precioso do Senhor Jesus e, sob a direção do Espírito Santo, procura-se exaltar ao nosso Deus na pessoa do “Seu Filho“. É isto que deve-se praticar! A Ele, pois:

“(…) seja glória e majestade, domínio e poder, antes de todos os séculos, agora, e para todo o sempre. Amém” (Judas 25).

Fundamentado à Palavra é mister seguir fielmente, e sem restrições, o modelo de igreja que as Escrituras apresentam no livro dos “Atos dos Apóstolos” e nas “Epístolas”. Esse fundamento alerta para o fato de que aquele padrão continua sendo o que Deus deseja para os Seus filhos, e que, por ser um padrão divino, é viável e infalível em nossos dias.

Os tempos e costumes mudam, mas a Palavra de Deus não muda“, pois não é a Palavra que se ajusta ao homem, mas o homem que se molda conforme a Palavra!

Princípios de Fé

Há um só Deus, Todo-Poderoso e apresentado a como uma Trindade de igual natureza (Gênesis 1.26;João 10.30;I João 5.5-8);

As Escrituras Sagradas (a Bíblia) contém a Palavra inspirada de Deus, que é perfeita e completa, “e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra” (II Timóteo 3:16-17);

Conforme as Escrituras, por natureza, todo ser humano nasce na condição de condenado ao Inferno pelo fato de nascer como um pecador diante de Deus, pois diz a Palavra: “Não há diferença, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23). O ensino da Palavra afirma que “depois desta vida começa a eternidade, e só há dois destinos possíveis para o ser humano: o Céu ou o Inferno“, compreendendo que “aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois disto o juízo” (Lucas 16:19-31; Hebreus 9:27). Mas, mesmo diante deste fato, pode-se dar graças a Deus, pois: “(…) o dom gratuito de Deus é a vida eterna por Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 6:23).

Nota: As publicações têm sido continuamente disponibilizadas desde dezembro de 2006. Os textos não sugerem a existência de qualquer vínculo a “denominações” ou movimentos culturais, políticos e sociais, como também “não existe qualquer imposição quanto ao que esteja escrito“, pois aceitar os fatos aqui publicados requer do verdadeiro cristão a correta atitude de comparar a ordem de pensamentos com as Escrituras Sagradas, as quais são “a verdadeira voz da razão” (Atos 17.11).