Para Quê Vivo Eu?

Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas” (Mateus 11:28-29).

Alguma vez em sua vida você já parou para pensar seriamente se o que você está vivendo até hoje é realmente a vida que sempre desejou? Em outras palavras: você está plenamente satisfeito com tudo o que tem experimentado até aqui? Está satisfeito com todo o seu passado, suas experiências e suas lembranças? Seu tempo presente lhe dá alegrias e satisfação plena, a ponto de conseguir dormir tranquilamente sem nenhum sentimento de culpa ou vazio? Ao pensar no futuro, você se sente seguro e esperançoso em conhecer e experimentar coisas maravilhosas que ainda não pode conhecer nem experimentar, ou sente-se temeroso e inseguro em relação aos problemas que a vida lhe trarão, incerteza, medo de mudanças, medo da morte e do que virá depois? Ou você simplesmente evita pensar no futuro justamente para não se deparar com o medo e insegurança?

Por favor, amigo, não pare de ler esta pequena mensagem, ela foi escrita por sua causa, por amor a você, pensando exclusivamente em você e sua necessidade.

Certamente há em seu mais profundo íntimo uma sede, uma necessidade clamando por ser atendida. Não ignore os seus gritos abafados de socorro, não feche os seus ouvidos aos apelos de sua angustiada alma, dê-lhe pelo menos alguns minutos de atenção. “A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo” (Salmos 42:2).

Você sabia que possui uma alma, ou melhor, que você é uma alma? Ou seus sentimentos mais íntimos que lhe fazem rir, regozijar-se, exultar, entristecer, chorar, sentir medo, intranquilidade, ansiedade, pavor, etc., todos são manifestações da sua alma, que é eterna, como eterno é o seu Criador. Esta alma é a sua personalidade, é a sua pessoa que habita um corpo terreno, passageiro, que envelhece, adoece, enfraquece e morre, voltando ao pó de onde foi triado (Gênesis 2:7; 3:9; Eclesiastes 12:7). Mas a sua alma, com todos os seus sentimentos, consciência e lembranças, permanecerá após a morte do corpo.

Enquanto estamos vivos, a alma exercerá influências fortíssimas sobre nossa vida aqui. Se sua alma estiver contaminada, comprometida com o pecado, ela estará em rebelião contra Deus o seu criador, e isto trará consequências para sua vida aqui. Um sentimento de vazio constante, uma necessidade permanente de descontração, uma busca exaustiva de prazeres e êxtases, através de vários meios como bebidas, sexo, drogas, músicas, baladas, etc. Tudo isso acontece porque a alma que só pode encontrar descanso e prazer verdadeiro e permanente em Deus, o seu Criador, está separada dEle pelo pecado.

Nenhum de nós viemos a este mundo por acaso, apenas para viver alguns poucos e miseráveis anos, experimentar algumas alegrias e descontrações em meio a tristezas e desilusões, e depois de alguns anos morrermos e cairmos no esquecimento. Não, isso é sem sentido! E desalentador!

A nossa vida, nossa vinda a este mundo tem um propósito definido por Deus: Ele nos criou para Ele (Colossenses 1:16), para a Sua glória, para vivermos em comunhão e harmonia com Ele (Gênesis 1:26), e se não estivermos vivendo assim, nossa vida é sem sentido.

Ele quer que sejamos reconciliados consigo e encontremos razão verdadeira para viver. O Senhor quer que nossa alma encontre descanso, prazer e refrigério nEle, e assim teremos condições de viver uma vida de poder sobre o pecado, sendo guiados pelo Espírito Santo e experimentando uma vida transformada, encontrando alegria naquilo que antes não apreciávamos e tendo poder para rejeitar aquilo que nos dominava. Isso sim, é que é vida com sentido!

Mas, oh, quão grande é a incredulidade dos homens! Não conseguem acreditar que a vida com Cristo é prazerosa, e então nunca a desejam. Que tristeza! Por acaso o amigo leitor é um destes?

O PODER DA CONSCIÊNCIA

A consciência foi implantada em nós, ela faz parte da nossa alma e funciona como um sinal em nosso “painel de controle”, mostrando-nos algum perigo, ou algo errado em nossa alma que precisa ser corrigido.

A maioria das nossas atitudes e reações acontecem por influência direta da nossa consciência. Por exemplo, em João 8:1-9, aqueles que levaram uma mulher adúltera perante Jesus para ser condenada, saíram de lá fugindo do Senhor acusados pela sua própria consciência.

É profundamente lamentável que um enorme número de pessoas está vivendo e carregando sobre si uma consciência perturbadora, carregada de medo, sentimentos de culpa, ansiedade sem fim, mágoas e lembranças do passado, e estão por isso buscando sempre meios para abafar a voz dessa consciência através de práticas corporais como o lazer, esporte, constante tempo com os amigos, bebidas, drogas, trabalho excessivo, música alta, baladas noturnas e sexo livre.

Outros, por sua vez, atormentados por suas culpas e ressentimentos, desejando livrar-se da angústia de viver debaixo de uma consciência culpada, tomam a mais triste de todas as decisões, influenciados por Satanás, atentam contra a própria vida, entrando na eternidade na ilusão de encontrar alívio, mas encontrando na verdade os tormentos eternos.

COMO SE LIVRAR DA CONSCIÊNCIA?

A consciência é o meio por onde o Espírito Santo poderá convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo (João 16:8). Mas, é justamente neste momento, quando percebendo a atuação do Espírito em sua consciência, e acusado pela mesma, por vezes diante da pregação do Evangelho ou na leitura de uma mensagem escrita, o homem incomodado procura de todas as formas possíveis abafar essa voz incômoda, através de qualquer atividade – descontração, jogos, televisão, serviço – e desta forma o homem criado por Deus vai fugindo do seu Criador, resistindo ao Espírito Santo, rejeitando a Cristo e a preciosa salvação, e desta forma comprometendo-se cada vez mais com a condenação ao inferno.

O exemplo já citado de João 8 mostra-nos que o homem quando ouve a voz do Senhor sente-se culpado, e acusado pela consciência foge do Senhor. Esta não é a maneira de livrar-se da consciência. A mulher pecadora que foi levada ao Senhor para ser condenada foi a única que permaneceu diante dEle, ela não fugiu. E qual foi o resultado?

Ela foi perdoada, salva e despedida para viver uma nova vida.

Hebreus 9:14 diz: “… muito mais o sangue de Cristo que, pelo Espírito eterno, a Si mesmo Se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas para servirmos ao Deus vivo”.

Somente o sacrifício de Cristo realizado na cruz pode dar ao pecador culpado alívio eterno das culpas do seu pecado. Amigo leitor, você não deseja receber este alívio eterno?

Você já parou para pensar como o tempo passa rapidamente? E o que tem feito da sua vida até aqui? Lembre-se do que está escrito na Escritura: “Alegra-te, jovem, na tua juventude, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade; anda pelos caminhos que satisfazem ao teu coração e agradam aos teus olhos; sabe, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá conta” (Eclesiastes 11:9).

Gostaria que você considerasse neste momento o enorme valor da sua alma. Talvez você nunca tenha parado exclusivamente para pensar nisso. Neste momento, se estiver acompanhado, peça gentilmente licença, retire-se a algum lugar onde possa pensar seriamente sobre a eternidade, a necessidade e a sede da sua alma, que é a sua personalidade, onde estão as fontes dos seus sentimentos, consciência e emoções.

Pense também no preço elevadíssimo em que Deus avaliou a sua alma quando disse através de Seu Filho: “… que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” (Mateus 16:26). Mas, especialmente, pense no preço que foi pago por Ele ao entregar à morte o Seu Filho Unigênito, para que na morte dEle os pecados que você tem, todos eles, fossem castigados na pessoa do Seu Filho. “Mas Deus prova o Seu amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Romanos 5:8).

Por favor, e por amor à sua própria alma, pense também nos horrores do que é o inferno, nos terríveis tormentos que invadirão a alma ali após a morte, e como não se encontrará ali nenhum, absolutamente nenhum alívio, nenhum analgésico para as dores inflamadas da alma atormentada nas chamas da condenação e separação eterna de Deus. Ali não haverá nenhum consolador, ninguém para ouvir e atender aos seus clamores, pelo contrário, lembranças do tempo da oportunidade que terá passado jamais abandonarão a consciência na eternidade após a morte sem Cristo.

Finalmente, amigo, não deixe de olhar agora em direção ao amor e misericórdia de Deus, que te oferece neste momento, pela Sua graça, o perdão, reconciliação e uma nova vida de salvação e paz com Deus, consciência livre, purificada pelo sangue de Cristo, a certeza e segurança de ser um herdeiro dos céus, a certeza de em breve desfrutar das delícias celestiais, onde não há dor, luto, pranto, morte, depressão, não haverá lágrimas – mas vida eterna – onde a alma estará, juntamente ao espírito e corpo transformado, desfrutando da plenitude, gozando completo prazer e refrigério junto ao Senhor e todos os salvos redimidos pelo sangue de Cristo.

Ah! Querido leitor, não deixe sem resposta o chamado amoroso do Senhor, neste mesmo dia, ou noite. Busque-O! Ele espera por você! Encontre-O hoje mesmo!

“Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do SENHOR” (Atos 3:19).

 

Adir R. Magalhães — Publicado por Fiel Palavra, julho de 2014.