Como Ensinar O Evangelho Para As Crianças

Mateus 18:1-4 é a passagem mais destacada da Bíblia sobre o assunto de crianças. Se o evangelismo das crianças for encontrado na Bíblia, esperaríamos achá-lo aqui também. O que trouxe à tona este discurso foi uma pergunta feita pelos discípulos. Eles perguntaram a Jesus quem seria o maior no reino dos céus (Mt 18:1).

Antes que Jesus respondesse. Ele cha­mou uma criancinha e a colocou entre os discípulos, usando-a para fazer uma lição concreta. Tudo o que Ele disse a seguir seria sobre aquela criança ou sobre outras semelhantes a ela. Por esta razão, é ne­cessário saber a idade daquela criança. Mateus diz que a criança era pequena, mas não muito pequena, pois aquela não fora a ocasião em que Jesus tomou crianças nos braços e as abençoou (Lc 18:95-17). Aquela criança era pequena, porém, não um bebê de colo.

Marcos 9:36 esclarece um pouco mais a questão da idade da criança quando diz que Jesus a tomou em seus braços. Não é natural que um homem tome uma criança em seus braços, a menos que ela seja bem nova. Esta criança tinha provavelmente 6. 7 ou 8 anos, talvez menos, porém não mais que 10 anos. Era desta idade de crianças que Jesus estava falando nesses versos (Mt 18:2).

Uma criança é humilde, tratável e tem um coração que confia, características que são essenciais para se chegar a Deus como pecador perdido e aceitar a salva­ção pela graça – como um presente. Os adultos perderam estas características es­senciais e somente através da agonia do arrependimento e pela graça de Deus. é que podem readquiri-las. Já que as crian­ças possuem estas coisas naturalmente. Jesus está ensinando que é mais fácil para uma criança vir a Cristo do que para um adulto. A experiência prova isto também. As crianças vêm para Cristo tão rapida­mente. assim que lhes é dada uma oportunidade (Mt 18:3).

Jesus disse que receber uma criança em Seu nome (espiritualmente) é como receber a Ele mesmo. Marcos 9:37 põe ainda mais ênfase nesta afirmação: Re­ceber uma criança é como receber a Deus Pai. Por que nosso Senhor valoriza tanto uma criança? A resposta é simples. Cada criança tem uma alma imortal. Ela vai passar a eternidade em algum lugar e se ela crescer no pecado, e não aceitar Cristo em sua vida. ela não vai passar a eternidade no céu. Levar crianças a Cristo é um trabalho tão maravilhoso quanto levar adultos a Cristo.

As Crianças Podem Ser Salvas

Muitos questionam se as crianças de 6.8 ou 10 anos podem aceitar a Cristo e ser regeneradas pelo Espírito Santo. Jesus respondeu à pergunta definiti­vamente: “Aqueles que levarem à perdição uma dessas crianças que crêem em mim…” Quando lemos em João 1:12 a promessa que “a todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus”, não encontramos ali nenhum limite de idade. Uma criança pode perfeitamente se qualificar para se apropriar dela.

É razoável crer que uma criança de 6 anos pode vir a Cristo e se salvar? Uma criança de 8 anos peca conscientemente? Quando ela peca, ela se sente culpada? Uma criança dessa idade tem inteligência suficiente para entender o evangelho simples de que Cristo morreu para salvar os pecadores? Uma criança pode tomar uma decisão por livre escolha?. Quando estas perguntas são resolvidas, (e só há uma maneira de respondê-las), fica muito claro que certamente as crianças podem ter uma fé regeneradora.

E quando elas realmente crêem. Deus não irá regenerá-las de acordo com Sua promessa? Muitos dos melhores crentes hoje, sejam leigos, ministros ou missio­nários, acreditam que realmente nasce­ram de novo quando eram crianças, muitos até com menos de 6 anos (Mt 18:6).

As Crianças Precisam da Salvação?

Nosso Senhor respondeu esta pergunta também, afinal é muito importante. Ele diz algo surpreendente no versículo 11 (pois precisamos lembrar que Ele ainda está falando sobre crianças): que Ele veio para salvar os perdidos. As crianças estão perdidas? Nosso Senhor declarou que sim. No versículo 14, Ele diz que não é a vontade do Pai que elas pereçam, deixando claro que as crianças vão perecer se não forem levadas a Cristo. Se acreditamos no que a palavra de Deus diz aqui. nós nunca descansaremos enquanto não virmos nossas crianças, e as crianças pelas quais somos responsáveis, se converterem.

Jesus não nos diz em que idade uma criança estará perdida (pois todos acre­ditam que a salvação de bebês está garantida pela obra de Cristo na cruz), mas que cada uma delas passa aquela linha invisível é um fato evidente. Toda criança está perdida ou logo estará, se não for trazida a Cristo como uma pecadora que deseja ser salva por Ele.

Assim sendo, a única coisa razoável e segura a se fazer, é levar cada criança a Cristo o mais cedo possível. Assim que uma criança sabe a diferença entre o certo e o errado, assim que ela mostra evidên­cias de uma consciência de culpa quando faz coisas erradas, ela tem idade suficiente para que expliquemos como Deus a ama e como Jesus morreu por seus pecados. Ela é adulta o suficiente para que expliquemos como Deus em Sua palavra promete que perdoará nossos pecados, e que Jesus virá morar dentro de nosso coração se nós O aceitarmos como nosso Salvador (Mt 18:11,14).

O Dever De Evangelizar Crianças

Não só as crianças podem ser salvas, e também estarão perdidas se não aceita­rem a Cristo, mas nosso Senhor deu-nos o dever, como cristãos, de trazê-las a Cris­to para a salvação. Muitos que creêm na conversão de crianças insistem que não devemos fazer nenhum esforço para trazê-las a Cristo, e que o Espírito Santo deve cuidar delas até que elas vão por si mesmas a Cristo, ou venham a nós desejando ser conduzidas a Ele.Jesus desfez totalmente estas falsas teorias que são responsáveis por grande número de crianças não terem aceitado a Cristo ainda, crianças que teriam sido conduzidas a Ele se tivéssemos cumprido nosso dever ao invés de empurrar esta responsabilidade para o Espírito Santo e para as próprias crianças.

Nos versos 13 e 14, Jesus nos fala da parábola da ovelha perdida, que vem logo após o verso que declara que as crianças podem estar perdidas. Nestes versos Ele diz que é dever dos discípulos ir atrás e encontrar as crianças perdidas, trazendo-as para o aprisco, como faria um bom pastor se somente uma de suas ovelhas se perdesse.

Como esta parábola torna ridícula a idéia de que as crianças devem vir a Cristo por elas mesmas; como uma ovelha perdida poderia voltar para o aprisco sozi­nha. sem ajuda do pastor? O pastor, nesta parábola, não é o Espírito Santo ou Deus. mas o discípulo. E já que Jesus dirigiu este ensinamento a todos os seus discípu­los, a responsabilidade de evangelizar as crianças recai sobre todos nós.

Pais Crentes Devem Evangelizar Suas Crianças

Em Efésios 6:4 os pais crentes são ordenados a educar seus filhos na palavra do Senhor. Uma vez que todas as crianças estão perdidas, ou logo estarão se não forem levadas a Cristo, nenhum pai pode obedecer esta ordem sem evangelizar seus próprios filhos. É o plano de Deus que os filhos de crentes sejam levados a Cristo por seus pais.

E a que idade? Quando eles são pequenos o suficiente a ponto de ainda estarem nos braços. Se todos fossem as­sim criados, poucos filhos de pais cris­tãos cresceriam sem se converterem, e iríamos para o céu por famílias. Esta pas­sagem da Palavra pressupõe que um pai crente saiba como levar seu filho a Deus. Todo pai vai falhar no seu dever para com seus filhos se não souber fazer isso. Deus considera os pais responsáveis pela salva­ção de seus filhos.

A Igreja e a Escola Dominical Devem Evangelizar Suas Crianças

Em João 21:15 Jesus ordena a Pedro para que alimente Suas ovelhas e. indiscu­tivelmente se referia às crianças. Ele não estava falando a Pedro como um pai, mas como um apóstolo ou líder da igreja. Aqui nosso Senhor estava tornando os líderes da igreja responsáveis pelas crianças da igreja. Considerando que as crianças es­tão perdidas. ou logo estarão, elas não podem ser alimentadas, a menos que se­jam evangelizadas. Tentar alimentar ove­lhas perdidas – ou seja. crianças não salvas – não é o plano de Deus. e tentar isso é fracassar. A Palavra de Deus diz (2 Co 2:14) que os não salvos não podem entender as coisas espirituais.

As crianças que vão à Escola Domini­cal há anos e não são nascidas de novo podem somente captar a letra da Palavra, mas a letra mata (2 Co 3:6) E quantas de nossas crianças tèm sido mortas ao invés de serem salvas. Não é de se admirar que 85% das crianças deixam a Escola Domi­nical na adolescência, a maioria das quais não volta para a Escola Dominical ou para a Igreja?Por quê? Acabamos com o interesse e o amor delas pela Palavra de Deus. porque realmente nunca viram a beleza e a profundidade do seu significado espiritual.

Então, assim como é dever dos pais crentes evangelizar suas crianças, nosso Senhor também fez dever de todos os líderes da igreja evangelizar as crianças da Escola Dominical. Sem dúvida alguma, esta evangelização deve se estender às crianças de todas as famílias da congregação.

Se elas forem assim conduzidas, poucas crianças da Escola Dominical crescerão sem experimentar uma verda­deira conversão. Da forma como as coisas estão, milhões de crianças da Escola Dominical passam por ela sem ter uma experiência de salvação. Creio que Deus responsabilizará os líderes da igreja e da Escola Dominical pela salvação de cada criança que está sob seus cuidados.

Todos Os Discípulos De Cristo Devem Evangelizar Crianças Perdidas

A parábola da ovelha perdida não está falando a respeito das crianças que têm um lar cristão ou que freqüentam Escola Dominical, mas das crianças perdidas, as não alcançadas. Nosso Senhor fez todos os Seus discípulos responsáveis pela evangelização delas e a única forma de alcançá-las é ir onde elas estão, de toda forma possível.

De acordo com esta parábola, o plano de nosso Senhor para estas crianças perdidas é evangelizá-las primeiro, exatamente onde as encontrarmos, e. então, assim que possível trazê-las ao aprisco da igreja e da Escola Dominical. Deus tem três campos para o evangelismo das crianças: o lar, a igreja e a Escola Dominical, e ainda, em qualquer outro lugar onde puderem ser encontradas e arrebanhadas.

A parábola ensina que o primeiro dever de um pastor é para com as ovelhas perdidas. Nosso primeiro dever, como crentes, é converter as crianças, enquanto são mais receptíveis para o evangelho, “antes que venham os maus dias” (Ec 12:1). quando fica tão difícil de convencê-las.

O Perigo De Negligenciarmos O Evangelismo Das Crianças

Jesus disse: “Vede, não desprezeis a qualquer destes pequeninos” (Mt 18:10). A grande tendência de muitos é negli­genciar o dever de levar as crianças a Cristo, deixando para mais tarde, quando ficarem mais velhas, ou esperando que outros o façam no seu lugar. Nosso Senhor disse que as crianças não são desprezadas no céu. No céu estão preo­cupados com a salvação das crianças. No céu sabem quando uma criança crê (sabem se determinada criança nasceu de novo ou não) e escalam um anjo da guar­da para cada criança.

E de se notar que as crianças do verso 10 são as mesmas do verso 6. aquelas “que crêem em mim”. São estas que têm o anjo da guarda. Se Jesus se preocupa tanto assim sobre a evange­lização das crianças e o céu alegra-se com a conversão de apenas uma criança.

Então porque os crentes adultos o ne­gligenciam? Não é a influência de Sata­nás que causa isto?Satanás sabe que as crianças podem ser salvas e será que ele não faria tudo que está ao seu alcance para o impedir, sabendo o quanto será mais difícil convencê-las quando ficarem mais velhas? Lucas 15:10 diz: “Eu vos afirmo que, de igual modo, há júbilo diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende”. Isso não seria igualmente verdadeiro se este pecador fosse uma criança de apenas 6 ou 8 anos?

As Crianças Salvas Perseverarão?

Muitos hesitam em trazer crianças a Cristo por medo de que não perseverarão. Lembremos que o céu está guardando cada uma delas, e que cada uma tem seu anjo da guarda. A experiência prova que as crianças como grupo persistem mais do que os adultos.

Quando as crianças não “vivem a vida”, geralmente é porque não nasceram de novo ou porque “tropeçaram” por causa daqueles que deveriam cuidar delas. Muitas crianças tropeçam em sua vida porque foram levadas a Cristo pelo esforço humano, não pela graça de Deus, e, é claro, não nasceram de novo. Então, como poderiam “viver a vida” cristã?. Cada criança deveria ouvir sobre a salvação pela graça, por meio da fé (Ef 2:8-10). com explicações simples c cuidadosas, antes de ser levada a tomar uma decisão. Quando isto acontece, normalmente a regeneração se seguirá naturalmente.

O Terrível Pecado De Fazer Tropeçar As Crianças

Mateus 18:6 diz que seria melhor que aquele que fizesse tropeçar uma criança fosse afogado no mar. Os versos 7 e 9 dizem que aqueles que fizerem tropeçar uma criança terão o fogo do inferno como recompensa Por que é um pecado tão terrível fazer tropeçar (espiritualmente) uma criança?

  1. Porque sua vida eterna está garantida;
  2. Porque elas são incapazes de encontrar a verdade sozinhas, e dependem de nós;
  3. Porque se não fazermos nenhum esforço para levá-las a Cristo, elas natu­ralmente acham que não podem ir sozi­nhas. que são muito nov as.
  4. Porque as crianças são muito desejosas de agradar a Deus e amar a Jesus se forem educadas no caminho certo. Elas sentirão o desejo de ir a Jesus se alguém mostrar seu amor por elas. e assim se não forem a Cristo, a culpa será nossa e não delas.

O Que É Fazer Crianças Salvas Tropeçarem?

A rigor, a passagem de Mateus 18:6 se refere a não fazer tropeçar crianças já convertidas. Como isso pode acontecer e por que tal coisa é um pecado tão terrível?

Quando uma criança aceita a Cristo em um ambiente onde aqueles que deveriam encorajá-la a crer que é salva, duvidam e questionam a conversão de crianças e consequentemente a sua tam­bém. ela naturalmente ouve talvez até mesmo o “diácono” ou um outro líder na igreja dizer que não acredita que uma criança possa realmente ser salva. A me­nos que a criança tenha ajuda de alguém, ela certamente começará a duvidar que é cristã e não fará nenhum esforço para vi­ver a vida cristã.

Cada criança que aceita a Cristo e mostra sinais de um verdadeiro crente deverá ter ajuda e encorajamento dos ou­tros crentes. Todos aqueles que são nas­cidos de novo são crianças em Cristo e deveriam ser alimentados com o leite da Palavra (1 Pe 2:2). Uma pequena criança que é nascida de novo é um bebê em Cristo e além disso uma criança. Ela deve ser alimentada pois não tem conhecimen­to suficiente para encontrar o leite na Palavra e se alimentar sozinha. O dever dos crentes adultos que têm crianças sob seus cuidados é procurar e preparar o leite c alimentá-las. Se não for assim, como as crianças podem crescer na graça, e de quem será a culpa quando elas tropeçarem?. Se não déssemos alimento natural às nossas crianças em nossos lares, elas morreriam de fome e nós em breve estaríamos na cadeia.

A razão deste pecado ser tão terrível, primeiramente, é que ele destrói a fé da criança cm Cristo: segundo, porque de­sacredita o evangelismo de crianças quando estas não conseguem “viver a vida” cristã. Esta falha desencoraja os evangelistas de crianças e os impede de exercer a sua função, o que resulta em milhões de crianças não serem levadas a Cristo, quando de bom grado teriam ido se cumpríssemos nosso dever. Muitas dessas crianças nunca são salvas devido à nossa culpa. É fácil verificar porque este pecado de ser um tropeço às crianças é tão terrível aos olhos de Deus. Deus permita que possa ser terrível aos nossos olhos também.

O Desejo De Deus De Salvar Cada Criança

Jesus resume sua maravilhosa men­sagem sobre o evangelismo de crianças e a verdadeira grandeza, tirando qualquer dúvida que ainda possa existir sobre a salvação de crianças pequenas. Ele disse: “Assim, pois,não é da vontade de vosso Pai celeste que pereça um só destes pequeninos” (Mt 18:14). Com estas palavras de Deus soando nos nossos ouvidos, nós podemos e devemos sair à procura das crianças para ganhá-las para Cristo em todo lugar. Minha experiência durante muitos anos no evangelismo de crianças tem sido a de que Deus está sempre pronto para abençoar todo verdadeiro esforço para evangelizar crianças, e que o Espírito Santo regene­rará cada uma que verdadeiramente crer nele. baseado na graça de Deus.

 

J. Irvin Overholtzer [ Extraído de “Child Evangelism Fellowship International” ]

image_pdfimage_print

Comments are closed