A Peregrinação

Muitas vezes cantamos os hinos sem ao menos meditarmos nas suas palavras, na mensagem que os mesmos trazem. E também, no mais das vezes, nem alcançamos o que o autor quis expressar quando, em circunstâncias as mais diversas, pôs-se a escrever o poema. Este hino é um dos muitos escritos pelo Sr. John Nelson Darby, o consagrado servo do Senhor, nascido na Irlanda, em Leap Castle, King’s County, em 1800.

Este irmão foi um dos que, com outros irmãos, iniciaram as reuniões para o estudo da Palavra de Deus, independente da Igreja Anglicana e de outras denominações, das quais resultou a formação de igrejas locais autônomas e independentes, sem distinção entre clérigos e leigos. Seu pai, John Darby, queria que seu filho seguisse a carreira jurídica, mas Deus, com Seu poder, fez com que ele desistisse daquela carreira para dedicar-se ao serviço do Senhor.

Assim, com apenas 26 anos de idade foi ele ordenado ministro anglicano, tendo sido indicado para dirigir a paróquia de Wicklow, na Irlanda. Ali, logo distinguiu-se excepcionalmente no serviço pastoral e na muita humildade, indo, ele mesmo, morar numa casa bem simples num bairro pobre da cidade. O Senhor, porém, tinha um trabalho muito mais difícil e importante para o seu consagrado servo.

Uma queda do cavalo obrigou-o a permanecer três semanas na cama e, durante esse tempo, algumas verdades da Palavra de Deus ficaram bem marcadas em sua mente, tais como:

  • A perfeita e completa aceitação do crente, em Cristo, perante Deus;
  • A Igreja, e não as igrejas, como o Corpo e a Noiva de Cristo;
  • A permanência do Espírito Santo na Igreja, unindo-a a Cristo, na glória;
  • A volta de Cristo a fim de levar a Sua Noiva à glória, para Si mesmo.

Tudo isso marcou época em sua vida e, daí por diante, influenciou-o no sentido de, juntamente com outros irmãos, reunirem-se somente em Nome do Senhor, sem qualquer vínculo sectário. Este movimento estendeu-se por diferentes partes da Inglaterra, como também por outros países. Naquele tempo, a verdade da Segunda Vinda de Cristo para a Sua Igreja movia os corações dos crentes e o estudo das profecias foi o assunto principal das conferências que se realizavam na mansão de uma irmã em Cristo, a Sra. Powerscourt, cuja casa passou a ser o centro das reuniões.

O Sr. John Nelson Darby traduziu a Bíblia toda, dos originais hebraico e grego, principalmente para o francês e alemão. Mais tarde, traduziu-a, também para o inglês. A sua tradução é considerada uma das mais corretas e fiéis aos originais. Além disso escreveu inúmeros livros, entre os quais, “O Sumário dos Livros da Bíblia”, em cinco volumes, primeiramente em francês, depois em inglês e alemão, obra imensamente útil no estudo das Sagradas Escrituras.

John Nelson Darby viajou por muitos países da Europa e trabalhou muito tempo nos Estados Unidos e no Canadá. Tendo visitado, também Índia e a Nova Zelândia. Consta que, durante o seu incansável ministério, enquanto fazia as suas viagens em companhia de alguém, às vezes parava à margem da estrada para um descanso. E foi numa dessas  paradas que, enquanto seu companheiro dormia, Darby escreveu o hino que estou apresentando!

Além deste hino, o Sr. Darby escreveu muitos outros hinos. Mas a letra deste, em português, foi feita pelo Sr Richard Holden (1828 – 1886). A música, muito apropriada e muito apreciada, é de um compositor desconhecido e que apareceu no hinário “Lancasshire Sunday School Songs”, em 1857.

É assaz interessante notar que um ano antes da partida de Darby para o Senhor, em 1882, ele escreveu o poema que começa assim: “E verei a face do meu Senhor!” – poema este muito parecido com o hino: “Um dia a lida acabará! E meu descanso gozarei; / Na glória que Jesus me dá, / O Seu amor desfrutarei. E face a face vê-LO-ei, / Por graça, salvo, cantarei”. Um ano depois, foi o Sr. John Nelson Darby recolhido à presença do Senhor!

Letra: John Nelson Darby – Nasceu no dia 18 de novembro de 1800 em Londres, Inglaterra. Faleceu no dia 29 de abril de1882 em Bourne­mouth, Dor­set, Inglaterra. Descansa em Bourne­mouth, Dor­set, Inglaterra.